Redes Social

segunda-feira, 29 de outubro de 2007

No fim de semana desportivo...


Nacional 0 Sporting 0

Preocupados com a recente série de resultados menos positivos, cerca de três dezenas de adeptos leoninos pediram explicações a treinador e jogadores na última madrugada, aquando da chegada a Alvalade da comitiva que, horas antes, empatara, sem golos, na Madeira, diante do Nacional. A cena aconteceu por volta das duas horas da manhã, junto ao local onde treinadores e jogadores saíam, perto do edíficio "Visconde". Nessa zona aguardavam cerca de 30 adeptos. Quando Paulo Bento saiu, ao volante do seu carro, fizeram-se ouvir palavras de ordem como "o que é isto, Paulo? O que é isto, Paulo?". A palavra "Vergonha" também foi escutada.
benfica + pedro proença 2 Maritimo 1
Arbitragem a beneficiar claramente a equipa da casa ... Proença ajuizou bem o lance dos dois penáltis, mas perdoou, em dose dupla, a expulsão a Binya (6' e 39'), não assinalou penálti de Ricardo Esteves sobre Léo, aos 72' da partida. Mais tarde a dualidade de critérios foi gritante!
Ficamos todos a conhecer mais uma regra do futebol. Quando um jogador encarnado corta a bola quer pela linha lateral, quer pela linha de fundo... a bola pertence sempre a essa mesma equipa!!!
FC PORTO 3 Leixões 0
O FC Porto recebeu no Estádio do Dragão o vizinho Leixões e venceu por 3-0, com dois golos obtidos numa entrada de rompante que se foi esbatendo com o decorrer do encontro. Ao fulgor dos primeiros dez minutos seguiu-se uma fase de quase recolhimento dos “azuis e brancos” e depois a bola de pé para pé, a gestão do resultado e do esforço, ante um adversário com pundonor e dignidade.

quarta-feira, 24 de outubro de 2007

Na jornada da Champions


Roma 2 Sporting 1

Liedson conseguiu, em Roma, estrear-se a marcar na Liga dos Campeões e dessa forma interrompeu um longo jejum de mais de 2 anos sem "facturar" em partidas respeitantes às competições europeias mas, a verdade, é que o golo do dianteiro baiano não chegou para que o Sporting evitasse a derrota...

benfica 1 Celtic 0

O benfica venceu o Celtic esta noite na Luz, por 1-0, num dos dois jogos do Grupo D da Liga dos Campeões em que Cardozo esteve em particular evidência, marcando o único golo da partida e enviando uma bola à barra e outra ao poste da baliza de Boruc.

Marselha 1 FC PORTO 1

O FC Porto empatou esta noite em Marselha, a um golo, em jogo do Grupo A da Liga dos Campeões em que a superioridade dos campeões nacionais foi notória, principalmente durante a primeira parte, mas os postes, a exibição do guarda-redes francês e o arbitro da partida impediram outro resultado...

Mais uma vez... !!! Basta!!!!!

segunda-feira, 22 de outubro de 2007

Desporto Rei: 2. Os pés de Deus

Quando um jogador, com a bola dominada e em fase de arranque, consegue ter à sua frente mais de meia equipa adversária, em sentido, quais forcados encarando um majestoso touro na arena, nem é preciso mencionar o seu nome para sabermos de quem se está a falar: "El Diego" como o próprio gosta que seja referido! Nunca um jogador ganhou sozinho um Mundial de Futebol. Errado, aconteceu uma vez, no México segundo reza a lenda. Diego Armando Maradona, juntamente com 10 discipulos escolhidos ao acaso para acompanhar o Mestre, quebraram esse mandamento sagrado que diz que o futebol é um jogo colectivo. Até pode ser verdade, mas naquele mês de Junho de 1986, naquelas tórridas tardes mexicanas, um homem desafiou o mandamento dos Deuses da bola e elvou-se ao Olimpo do Futebol. Não pode ter sido por acaso todos os escândalos que o envolveram a partir desse ano em diante, Dieguito desafiou os Deuses e será punido pela sua insolência. Mas para nós, comuns mortais, "El Diego" representa um desejo tão antigo quanto a Humanidade: a possibilidade do Homem tocar o Céu!

Resta referir que os homens que se prostam diante de Maradona na fotografia são belgas, adversários que alcançariam o 3º lugar desse Mundial. Nesta meia final diante de Maradona, já avisados do genial lance ocorrido no jogo anterior frente aos prepotentes ingleses, decidiram marcar a sua genialidade com quantos homens pudessem. Esforço inglório, como ficou evidente nos golos que Maradona marcou e que levaram a Argentina à final. Aqui fica o momento da capitulação belga.

sábado, 20 de outubro de 2007

O Jornalismo no futebol


Carlos Daniel

Em 2006-09-20 divergências com os restantes membros da direcção de Informação, liderada por Luís Marinho, foram, segundo anunciou Carlos Daniel à redacção do Porto o motivo da demissão. Entre elas está o recente Mundial de futebol, onde ficou bem patente o desencontro com o subdirector que tutela o Desporto, Miguel Barroso, como ficou expresso nas páginas deste jornal. Daniel, recorde-se, sacudiu a água do capote relativamente ao facto de a RTP ter deitado dinheiro à rua ao não transmitir alguns resumos da prova, nomeadamente um do grupo de Portugal, o jogo entre Angola e Irão. O jornalista disse que se limitava a apresentar o programa, não lhe cabendo a responsabilidade de fazer o alinhamento, ou seja, uma indirecta a Barroso.Carlos Daniel foi afastado da narração dos jogos da Selecção, sendo substituído, na Finlândia, no primeiro jogo de Portugal na qualificação para o Euro’2008, por Hélder Conduto. A decisão prender-se-á com a má relação entre a Federação Portuguesa de Futebol e Daniel, que já durava há algum tempo, embora se tenha agudizado na Alemanha, por ocasião do Mundial. Na circunstância, Gilberto Madaíl, presidente da FPF, chegou a telefonar à administração da RTP dando conta do seu desagrado pelo programa que o jornalista conduzia a partir do território germânico e alusivo à competição que Portugal concluiu no quatro posto. No anúncio aos jornalistas sediados no Porto foi, de resto, bastante crítico relativamente à equipa da RTP na capital. “Em Lisboa, trabalham nabos! O também pivô do ‘Jornal da Tarde’ limitou-se a confirmar a demissão e a administração fez o mesmo.

Luis Freitas Lobo

Para ele, mais do que cinco continentes e sete mares, o mundo é um infinito conjunto de campos de futebol com muitas casas á volta. Todos os dias pensa em futebol e fa-lo sempre partindo da única forma que entende ser possível conceber: a emoção, descoberta tanto nas jogadas de Pelé ou Maradona, como nos gestos dos meninos descalços nos baldios de Buenos Aires, Rio de Janeiro, Moçambique ou Bombaim. Formado em Direito, em 1993, desde sempre permaneceu a paixão pela escrita e pelo futebol, e, como gosta de dizer, quando um homem tem uma paixão, o melhor que tem a fazer é tratar dela.... Na radio, colabora regularmente na Antena 1.Actualmente, colabora também como colunista no jornal PUBLICO, e na televisão, como comentador da RTP. Desde o primeiro olhar, aprendeu a apreciar o futebol na sua vertente artística, sempre num cruzamento entre a cultura e o desporto, a arte e o futebol.

"Ninguém tem mais cliques no Google do que ele. Quando o sistema empanca dizemos logo:'lá anda o Luís Freitas Lobo feito maluco à procura de jogadores", afirmava um técnico informático...

António Tadeia

No FC Porto-Sporting, após um passe para Postiga, Polga desarmou o avançado, a bola correu até Stojkovic, que a agarrou. Pedro Proença assinalou livre indirecto na linha de pequena área e dali nasceu o golo que decidiu o jogo. Não me senti escandalizado pela decisão, como não me chocaria o seu contrário. Já vi árbitros marcarem falta, já vi outros deixarem passar, pelo que o mais avisado é fazer o que disse Paulo Bento: "meter a bola longe da área". Da mesma forma, não me espantou que, em "O Jogo", dois árbitros achassem que Proença fez bem e outros dois que fez mal. Porquê? Na lei diz-se que deve ser marcado livre indirecto se "o guarda-redes tocar a bola com as mãos depois de esta ter sido deliberadamente pontapeada para ele por um colega". O problema é mesmo esse: o deliberadamente. No fundo, o que Proença devia ter feito era perguntar: "Ó sr. Polga, você queria mesmo passar a bola ao guarda-redes ou limitou-se a cortá-la para onde estava virado?" Passaríamos a ter muitos defesas a confessar limitações técnicas e acabavam os livres indirectos. Há quem diga que um dos segredos do futebol é esta subjectividade, que permite a discussão à segunda-feira. Mas isso era antes do "Apito Dourado".
São reportagens como estas que fazem de Antóno Tadeia aquilo que ele é. Enquanto não se conseguir libertar das pessoas do seu passado jornalístico não evoluirá mais que este patamar.
É trabalhador, profissional e gosta de futebol. Falta a coragem para dar "aquele pequeno grande" passo...
Todos os gostam de futebol aguardam por esse momento amigo António.

PS: Não coloquei aqui o Manha e Leonor (como é evidente) porque o post é sobre o jornalismo no futebol ... !?!

segunda-feira, 15 de outubro de 2007

A selecção, Scolari, FPF....




Nos últimos tempos, aqui no Blog, não foi meu costume comentar ou opinar acerca da selecção nacional, do Scolari ou mesmos da FPFutebol. Mas, os acontecimentos dos últimos tempos, a campanha de apuramento da selecção, leva-me a deixar aqui algumas reflexões.


A selecção no passado sábado ganhou ao fim de 3 jogos em que não conseguia ganhar.
Neste ultimo jogo foi jogar a um país distante, que faz fronteira com a china. Fez um jogo mediano e no fim consegui a vitória. Veio logo um conjunto de comentadores afirmar que foi uma grande vitória, um grande jogo. Mas Portugal contra uma selecção tão fraca não é obrigado a ganhar? Ou melhor, Portugal neste grupo, devia estar em primeiro lugar destacado, já com o apuramento directo. Ora vejamos, Portugal não ganhou nenhum jogo contra os adversários directos, mesmo assim continua em segundo lugar, com grandes possibilidades de ser apurado, mesmo em primeiro. Chamar a este grupo, o grupo do mata mata - expressão do Scolari -, eu chamaria o grupo do morre morre, porque parece que ninguém quer ser apurado.


Luís Filipe Scolari, no penúltimo jogo da selecção, teve uma acto irreflectido, grosseiro e desonroso para o país. Desde do Presidente da Republica passando pelo secretário do desporto e mesmo pela comunicação Social mundial, todos foram unanimos a afirmar que foi um acto sem fair play e que a federação de futebol deveria tomar uma posição dura perante a situação.
A UEFA inicialmente aplicou uma pena de 4 jogos, mas depois, e se calhar devido a pressões, aplicou 2 jogos de suspensão. E eu pergunto, aonde está o fair play que a UEFA anda a pregoar? A UEFA cede a pressões?

Pior mesmo é a FPF ainda não ter concluído o inquérito acerca deste caso. Deve estar à espera que o povo esqueça, para depois concluir que afinal não se passou nada. Mas, mais ridículo, foi o caso daquele jovem da selecção, que tirou o cartão ao arbitro, apanhou 1 jogo pela UEFA, mas pela federação apanhou 1 anos de suspensão. Então o Scolari, devido à violência, devido de ser despedido pela FPF?

Arguido? Não pode ser!?!!!

Caso João Pinto: Dias da Cunha constituído arguido O ex-presidente do Sporting, António Dias da Cunha, foi constituído arguido no âmbito da investigação da Polícia Judiciária relacionada com a transferência de João Pinto do Benfica para o clube de Alvalade.
«O documento padece de ligeiríssimas inexactidões, mas nada nele é ilegal (…) o facto de ser constituído arguido é uma mera formalidade», afirmou Dias da Cunha à Antena 1, referindo ao mesmo tempo que está «completamente tranquilo, tanto em relação a mim como em relação ao Sporting».

www.afinaljasepercebeondeelapodeestar."sapo".alguresporaífora...

sábado, 13 de outubro de 2007

Para nao dizerem que eu sou anti-record!!!


E se fosse o jornal OJogo a falar dos lançamentos de linha lateral do Fucile, no dia de jogo decisivo para a nossa selecção????

quinta-feira, 11 de outubro de 2007

O GUARDA REDES



O JOGADOR SOLITÁRIO


São, no limite do jogo, os últimos a defender e os primeiros a iniciar o ataque, mas, quando se fazem esquemas tácticos eles desaparecem dos desenhos. É o estranho mundo dos guarda-redes. Fala-se em 4x4x2. Devia falar-se em 1x4x4x2...

Durante algum tempo, notou-se a diferença entre aqueles que fizeram toda a carreira podendo receber com as mãos passes de colegas, e outros, da nova geração, desde o inicio limitados às novas regras. Jongbloed, na Holanda de 74, foi o precursor nesse aspecto.Tacticamente, existem três sectores numa equipa. Defesa, meio-campo e ataque. A noção de bloco que o jogo moderno trouxe, impondo em nome da coesão táctica que os sectores se devam manter unidos em campo, obriga, muitas vezes, a defesa, na tentativa de acompanhar a dinâmica desse bloco, a subir no terreno, aumentando então a distância que a separa do guarda-redes. Um dos perigos que resulta daqui são, por exemplo, os passes em profundidade que colocam a bola nas costas da defesa então subida. Para preencher esse espaço vazio impõe-se o adiantamento do guarda-redes para perto da entrada da área, de forma a antecipar qualquer bola que surja nessa área. Tal exige leitura de jogo atenta, velocidade e bom jogo de pés, para chegar primeiro à bola que o avançado, numa zona onde é proibido jogar com as mãos. É uma espécie de guarda-redes libero.Outro dos grandes atributos dos guardiões do presente é reposição da bola em jogo. Rápida e precisa, lançando o contra-ataque com as mãos.

No passado, os jogos entre a selecção da FIFA eram alvo de grande atenção. Nos anos 60, entre as redes, era usual jogar, numa parte, Soskic, e, na outra, Yashine. O jugos lavo era um assombro: voava frequentemente, para gáudio dos fotógrafos. Depois, vinha o russo e "estragava" tudo. Defendia de pé, sem malabarismos ou voos rasantes, o que o outro defendia com todo o espectáculo.No final, todos ficavam deslumbrados com Yashine, que fazia o mesmo trabalho com metade do esforço.




Ao longo dos anos, a escola de Leste criou o mito do guarda-redes frio, quase glaciar. Um "iceberg" entre os postes. Apesar de a memória abrigar nomes como o checo Grosics e o austríaco Koncilia, só nos anos 80, com Dassaev, o Leste voltou a ter um guarda-redes verdadeiramente digno da herança da aranha.

Morfologicamente, os latinos são de baixa estatura. Olhando um guardião italiano ou português, nunca ficamos com a sensação de que ele "enche" a baliza. O recurso só pode ser a agilidade felina. Em 1998, a França conquistou o mundo com o "volant" (o voador) Barthez. O careca gaulês, apesar de algumas saídas suicidas - típicas deste tipo de guarda-redes -, nunca treme antes de voar para uma bola, esteja ela no limite da área ou perto da linha de golo, habituado que está, como todos os "keepers" da sua estirpe, a respirar fora dos postes. Um contraste, por exemplo, com o jugoslavo-croata Ivkovic que quase precisavam de um garrafa de oxigénio antes de sair a um cruzamento.
Para Alex Ferguson, no presente, «os melhores guardiões do Mundo são italianos». Uma opinião com muitos argumentos. A escola italiana abriga um conjunto de excitantes "porTiere", como Buffon, que revelam excelente posicionamento, agilidade, capacidade de orientar a defesa e loucura "q.b". Atributos que se aplicavam a Zoff, campeão mundial em 1982 com 41 anos.



Historicamente, em termos de estilo, a América do Sul preconiza uma forma diferente de sair da baliza. A partir dos anos 60, todos os guarda-redes europeus saem em queda aos pés do avançado, colocando lateralmente o corpo. Na América do Sul, saem de joelhos com o corpo na vertical. Um contraste consagrado, por exemplo, pelos argentinos Filiol e Pumpido. Hoje, esta diferença menos evidente.

O drama brasileiro



Podemos, em traços largos, distinguir, no futebol europeu, quatro escolas diferentes de guarda-redes: a latina, a de Leste, a britânica e a do Norte da Europa, cada uma com o seu estilo, mas todas distantes do exotismo da escola sul-americana.Nas "peladas" de rua, quem vai para a baliza, normalmente, é sem. pre aquele que exibe menores dotes técnicos. Um destino traçado desde menino. O Brasil é dono do futebol mais admirado em todo o Mundo, mas os seus guarda-redes sempre foram alvo de piadas. Na Europa, diziam que eles cresceram com as galinhas. Depois do "gato Félix" em 70, o "escrete canarinho" viveu de Leão, atéque a partir dos anos 80, com Valdir Peres e Taffarel, o problema se tornou sério.É caricato notar como os jogadores brasileiros ficam admirados quando, na Europa, assistem à forma de os guarda-redes europeus blocarem a bola. Embrulhando-a com os braços, quase como se segura um bebé, com firmeza, em oposição à leveza com que os sul-americanos a agarram com a palma das mãos. Tudo traços que definem diferente'ir formas de estar no futebol.Contava o malogrado Barbosa, o guarda-redes do Brasil batido pelo Uruguai no Mundial'50, que «já revi esse golo milhares de vezes na minha cabeça. Todas as noites, sonho com essa bola na minha direcção, e eu deixo-a escapar.Já passaram quase 50 anos, mas ainda há pouco uma senhora, quando me viu numa loja, disse para um menino que trazia pela mão: «Vês, meu filho, foi esse homem que fez chorar milhões de brasileiros...»

Entendem agora do que se está a falar? Guarda-redes: onde eles pisam, a relva deixa de crescer...

Por: Luis Freitas Lobo

quarta-feira, 10 de outubro de 2007

Puzzle sobre os ditadores do futebol português

Aqui está um quizz para todos os que andam distraídos sobre quem são os corruptos do futebol português pós 25 Abril. Como, em pleno período "democrático", alguns se agarraram ao poder, quais ditadores, por décadas a fio. E um deles só de lá sairá embalsamado. Com um pouco de cultura geral facilmente o puzzle será decifrado...

segunda-feira, 8 de outubro de 2007

A jornada...


Juntando uma metade com tempero a outra sem sal, o FC Porto, de penálti, acabou por combinar os ingredientes na medida exacta de um recorde: garantiu a sétima vitória consecutiva, o que equivale a um começo de campeonato avassalador.

A equipa encarnada voltou ontem aos triunfos, em Leiria, e aliviou a pressão que ameaçava tornar-se insuportável, depois de cinco jogos sem ganhar - dois empates no Campeonato, um na Taça da Liga e duas derrotas na "Champions".

O russo entrou em campo para a segunda parte anteontem, na recepção ao Guimarães, e do seu certeiro pé direito saíram os primeiros dois dos três golos com que os leões conseguiram superar uma turma vimaranense briosa, que chegou a manietar o anfitrião na primeira metade do encontro...

Fonte: Ojogo

sexta-feira, 5 de outubro de 2007

Os prémios

Tomei a liberdade de inscrever o nosso magnifico blog nos prémios "Super Blog", agora resta-nos esperar pelo prémio que concerteza vamos conquistar...espero que seja uns valentes barris de cerveja!!!! eheheh

Podem ver o banner na barra lateral...

Abraço a todos!!!

quinta-feira, 4 de outubro de 2007

2ª Jornada da Champions Tribunal do Futebol

Desta classificação é de destacar as 3 ultimas posições, que pertencem ao mesmo treinador. Em destaque pela positiva esteve o senhor Gil, com uma fantástica pontuação de 85 pontos nesta jornada, subindo assim provisoriamente ao primeiro lugar.
Queria destacar também a excelente exibição da equipa "cataluña" que foi sem margem para duvidas a que praticou melhor futebol! :)

segunda-feira, 1 de outubro de 2007

Começou...

Começou hoje verdadeiramente o campeonato nacional de futebol profissional, digo isto porque tanto o clube da águia como o clube do leão, esses mesmos que estão classificados atrás do Vitória de Guimarães, começaram hoje verdadeiramente o campeonato e sempre com o mesmo jogo de sempre...Comunicação social Vs Futebol Clube do Porto bicampeão nacional!!!!
O zé povinho acorda nesta segunda feira, dia primeiro de Outubro, e depara-se com o mais tradicional jornal do desporto português, aquele cujo nome foi retirado daquele objecto que nos últimos anos têm penetrado vezes sem conta as balizas alheias ao meu clube, a juntar-se à cerimónia oficial de abertura da verdadeira época futebolística dos clubes do império. Gostei do pormenor do vinho que estão, ou estavam a beber, dá realmente a entender que é da adega cooperativa de Murça o que demonstra uma atitude de grande carácter nacionalista, entende-se que as pessoas da foto olham para Portugal como um país de igualdades em que existe um respeito muito grande pelo próximo, neste caso pelo próximo campeão nacional!!!!
É assim que eu vou começar a viver mais um dia da minha vida, com tristeza, uma tristeza de quem há muito tempo vive tentando pensar que tudo não passa de coincidências e que a comunicação social não é manipulada. Gostava que se fosse o meu clube a fazer 58 passes num jogo contra um outro qualquer clube de vermelho estaria da mesma forma documentado, e seria dada a mesma importância. Gostava que o meu clube ganhasse 30 jogos seguídos e fosse dado mérito por isso, doeu-me muito ver escrito neste jornal "iniciativa abola" como podem ler no canto superior direito da foto. É muito triste, mas o mais triste é esse massacre psicológico ao meu Portugal, hoje a tarde, já toda a gente vai dizer que os clubes da capital empataram e o arbitro não marcou os penaltys devido ao Pinto da Costa. Enfim...