Redes Social

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Guna de Ermesinde



Aceito o critério disciplinar e o sentido de justiça de Paulo Bento. Muitos optaram por tomar partido de Ricardo Carvalho e Bosingwa, mas quer um quer outro tiveram comportamentos sobranceiros perante a figura autoritária que se exige a um seleccionador. Falharam e Paulo Bento tomou as medidas que considerou adequadas. E os visados, em lugar de assumirem um comportamento humilde e de respeito por uma figura de autoridade que lhes é superior, optaram pela via a que se habituaram enquanto estrelas futebolísticas: foram arrogantes, mimados, mal educados e grosseiros. Castigo? Exclusão sumária da selecção. Tomada de posição forte e sem hesitação, própria de um líder sem medo. 

Já no caso do Danny, ficam as dúvidas se algo de anormal se passou ou se está a passar. Se a sua ausência é momentânea ou efectiva. No que diz respeito a este jogador, de quem foi um acérrimo critico enquanto jogador leonino e que me merece toda a estima e consideração pelo tanto que batalhou e trabalhou para conseguir chegar onde chegou, sem padrinhos Mendes e sem se queixar do frio e costumes russos, como tanta outra vedeta lusa que foi à Rússia passar férias e "roubar" dinheiro ao Dinamo Moscovo. Ainda não teve o direito a um lugar ao sol nesta selecção, joga sempre pouco tempo ou quando joga mais tempo os seus colegas de campo andam a pastar dentro do mesmo, como se viu em quase todos os jogos de qualificação para o Mundial. Acredito, sem grande margem para dúvidas, que se fosse dada ao Danny as condições e confiança que depositam nele no Zenit poderia ser o suporte de talento que tanta falta faz a Cristiano Ronaldo na frente de ataque da selecção portuguesa. Mas, a confirmarem-se as suspeitas de comportamento incorrecto e se a atitude for a mesma de Bosingwa e Carvalho, então bye bye. 

Quanto ao assunto que me leva a fazer este post, o guna de Ermesinde. Já toda a gente percebeu que este individuo não joga com o baralho todo. deve ter mais respeito pelos sabujos da claque dos super macacos do que por quem lhe paga o ordenado e do que pelas gentes comuns que lhe sustentam os vícios, a ele e aos colegas, porque sem adeptos este era mais um que andaria por aí no carjacking ou a jogar sueca em Custoias. Tem a sorte de saber dar dois pontapés numa bola, o que lhe dá a possibilidade de aprender regras, maneiras e sobretudo educação que a respectiva família não soube, ou não quis, dar-lhe em miudo. Umas boas lambadas em idade certa e seguramente que não teria este tipo de gesto e atitude perante uma plateia que, diga-se, teve um comportamento exemplar no apoio à sua selecção, e que não hostilizou os adeptos portugueses presentes em grande numero nem a selecção nacional. Espero que Paulo Bento, que tão zeloso tem sido, corrija o comportamento desta besta, porque eu não desejo ver estes animais de duas patas a representar a minha selecção. Tolero, já com dificuldade, a existência de claques, mas ver membros de claques jogarem com a quina ao peito e colocar o nome do País na lama por atitudes de carroçeiros, não, obrigado. 


«É normal. É futebol, é a vida. Não sei porque fiz isto»
Não sabes, porque não te deram educação. Não estás a representar a cooperativa dos pedreiros, estás ao serviço do País. E, no minimo, devias pedir desculpa. Dizer que é normal, é que é a vida é próprio de alguém que não assume responsabilidades. O meu professor primário fez de mim um homenzinho respeitador, com palmadas, perante a complacência dos meus pais. Se calhar a escumalha que te fez vir a este mundo ainda bateu no teu professor primário. É esta inversão de valores na sociedade que nos levou a este lamaçal. Culpem a Merkel...

1 comentário:

AntiSocial disse...

Boas, só gostava de dizer umas coisas, sr. Pirata lembras-te o que o ronaldo fez aos adeptos da bosnia? Pois tens memoria curta, o ronaldo como "capitão" devia dar o exemplo, o Josué apenas seguiu o exemplo do CR7 mais nada.... fica aqui o link para te refrescar a memoria...
http://www.dn.pt/desporto/seleccao/interior.aspx?content_id=2115073

Obrigado.